7 fatos sobre São Francisco

terça-feira, maio 06, 2014



São Francisco tem a maior concentração de doidos por metro quadrado. Tem todo tipo de doido: doido manso, doido que fala sozinho, doido que canta, doido que proclama o fim do mundo... Os homeless em SF não são como no Brasil: a maior parte deles não são só pobres. São malucos. Você olha nos olhos deles e vê que alguma coisa se perdeu ali. Além dos sem teto, tem uma infinidade de gente excêntrica andando nas ruas - as roupas e acessórios mais doidos (vi um cara andando normalmente de cartola e fraque na rua, nor-mal-men-te!), os cortes de cabelo, os jeitos, enfim. Muitcha loucura! Eu amei, podia passar horas só olhando o povo.


São Francisco respeita e valoriza a diversidade. Acho que SF foi a cidade que vi os gays e lésbicas mais orgulhosos do mundo. Lá, os brancos (não-latinos) já são minoria e a cidade é cheia de asiáticos, negros e latinos. Os avisos e cartazes oficiais nos transportes, pontos de ônibus e na cidade são escritos em inglês, espanhol e chinês. Além da diversidade sexual e étnica, todo mundo anda do jeito que tem vontade - seja lá que vontade for essa. Isso tudo faz da população da cidade uma massa colorida e muito diversa - que dá gosto de ver!

São Francisco é uma cidade para ser compartilhada. Eu já viajei muito só e adoro a experiência. Mas em São francisco foi diferente, é uma cidade que te convida a estar junto. O tipo de cidade e suas principais atrações e passeios são melhores quando feitas em companhia: passear de bike pela Golden Gate, apreciar os malucos da Haight, pegar um ventinho pendurada no bondinho, descansar no Golden Gate Park... É diferente de Nova Iorque ou Londres, por exemplo, que você pode passar parte do tempo em museus (que é uma experiência que dá pra fazer tranquilamente sozinha, eu acho). O melhor em São Francisco é passear pela cidade, andar nas ruas, olhar o povo, apreciar a vista - que são bem melhores quando compartilhados!

São Francisco é ambientalmente responsável e faz do consumo arma política. A cidade é cheia de mercados de fazendeiros locais e produtos orgânicos. Em todo lugar, você vê avisos sobre a procedência dos produtos. As sacolas plásticas foram abolidas e, nas lojas, eles sempre te perguntam se você quer uma sacola antes de simplesmente te dar uma. Em geral, são feitas de papel e você paga um preço por elas - US$ 0,10. As bicicletas são largamente usadas como meio de transportes (mesmo nos bairros cheios de ladeiras, mesmo na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê) - elas são aceitas no metrô e os ônibus conseguem transportá-las (elas vão na frente do veículo, do lado de fora, em porta-bicicletas parecidos com aqueles que usamos nos carros). A maioria do transporte público não usa gasolina. As pessoas carregam suas garrafinhas e copos para todos os lugares e os restaurantes dão água num esforço conjunto de abolir as garrafinhas de plástico de água da cidade. 


São Francisco é cênica. A topografia da cidade reserva lindas surpresas para o viajante atento: você sobe uma ladeira e, de repente, desponta uma bela vista da baía, uma rua ladeada de casas vitorianas e flores. A arquitetura é fofa e diversa - os terremotos enfrentados fizeram com que partes da cidade tivessem que ser reconstruídas, misturando influências e estilos arquitetônicos. O mar e a vista das pontes e das localidades em volta da baía complementam o cenário perfeitamente. Mas SF não é aquele tipo de cidade européia perfeitinha. Ás vezes é suja e bagunçada, pobre e desigual. É uma cidade autêntica e tem aquele tipo de charme sem esforço, que parece que existe naturalmente.


Mesmo no furdunço turístico e fabricado do Fisherman's Wharf, há beleza.


São Francisco tem cara de futuro. Mas não aquele futuro dos Jetsons, como a gente costuma imaginar. O futuro das start ups, dos jovens com novas idéias, das discussões pós-materialistas, ambientalistas e identitárias, da liberdade e do respeito sexual, da diversidade étnica. 

São Francisco é fria. Não se engane com o blá-blá-blá de sunny state, Califórnia, viver a vida sobre as ondas... SF é fria na maior parte do tempo. Além disso tem um vento desgraçado que entra pelo seu cangote e te faz se arrepender da roupinha de verão que você escolheu para o dia pretensamente ensolarado e quente. SEMPRE duvide do clima em SF. Você vira uma esquina e, de repente, é inverno. Leve seu casaquinho mesmo quando a previsão do tempo te disser que vai fazer 30 graus. 







'We are family', gritou o futuro lá da janela do Castro! 

You Might Also Like

0 comentários

Like us on Facebook

Flickr Images