Meu casamento na Bahia II: cerimônia e música

quarta-feira, março 30, 2016



Queríamos uma cerimônia sincera, que fosse capaz de envolver as pessoas no clima do casamento. Nada de cornetas (rs) e pompa e circunstância. Acho que nossa cerimônia foi do jeito que sonhamos e vários elementos ajudaram a ‘criar’ o clima desejado: a capela pequenina e singela, o fato de ser ao ar livre, a luz mágica do final da tarde, a música, o cuidado com os pequenos detalhes, mas, principalmente, nossos votos...

Se eu pudesse dar apenas uma dica sobre cerimônia para os noivos seria: façam votos! Ainda que vocês sejam tímidos e não pareça uma boa ideia a princípio. A sensação de ouvir o homem que você ama te fazendo uma declaração de amor pública, na frente de sua família e amigos é indescritível! Até hoje sinto um quentinho no coração quando lembro de alguns trechos dos votos de Henrique, que foram maravilhosos, tocantes, sinceros. Todos choraram. Acho que foi nesse momento que a gente conseguiu verdadeiramente envolver as pessoas na nossa cerimônia, no sentimento que estávamos comemorando ali.





NOSSA TRILHA SONORA


Outra coisa que ajuda a criar o clima ideal para a cerimônia são as músicas escolhidas. Quanto mais elas refletem o jeito e os gostos do casal, mais pessoal fica a celebração.

Que desafio é definir a trilha sonora de um casamento! Eu fiquei muito tempo pesquisando, ajustando, experimentando (com exceção da música da minha entrada)....

Muitas coisas influenciam na escolha da trilha sonora ideal. A seleção deve ‘combinar’ com o tipo de casamento feito – por exemplo, se você vai casar à beira mar, no final da tarde, talvez músicas mais ‘tradicionais’ não encaixem (fico tentando imaginar minha entrada com “Ave Maria” do Schubert, por exemplo, e não consigo!). Como numa trilha sonora de filme, as canções são elementos poderosos para criar o clima desejado para a cerimônia.

É bom que as músicas escolhidas componham um conjunto harmonioso entre si – se você vai seguir um caminho mais tradicional, é bom que a maioria das canções sigam nesse estilo, e por aí vai. Mas, é claro que o que conta, no final, é sua relação afetiva com a música. Então, se você quer entrar com Ave Maria do Schubert na sua capela à beira mar, vai fundo! ;-)

Eu também quis fazer uma seleção original, que fugisse um pouco dos lugares comuns de casamentos (é só ver as listas de sugestões de músicas pela internet ou nos blogs de casamento que a gente descobre rapidamente como tem algumas que se repetem infinitamente). Mas não só porque são clichês mas, principalmente, porque não são músicas que eu amo ou que me emocionem. Então fui atrás de uma seleção personalíssima, que falasse da nossa emoção.

Fiz uma seleção inicial de músicas bonitas, que me tocam e que eu gostaria de ouvir num casamento. Depois eu tentei casá-las com os momentos da cerimônia (entrada das daminhas, entrada dos padrinhos, entrada do noivo, etc). Daí eu fiquei com uma seleção de cerca de três músicas para cada um dos momentos da cerimônia, entre aquele conjunto inicial de canções. Depois, o noivo ajudou na seleção de algumas, ouvimos o conjunto das músicas na sequência da cerimônia, imaginamos cada momento com aquela música e só então conseguimos selecionar as vencedoras.

Vocês perceberão que eu mesma não segui meu conselho de buscar um conjunto de canções que combinem entre si, hahahahaha. Tem rock, MPB, indie, forró, até Leoni! rs Um conjunto que reflete exatamente as contradições e falta de senso dessa burocrata que vos fala (e, claro, do seu parceiro maluquinho). Mais pessoal, impossível! rs

Lá vai nosso set list:

Entrada do noivo: 

Depois de ter você, Maria Bethânia e Adriana Calcanhoto.


Eu queria muito ter Bethânia na minha seleção – aquela voz dela me dá uma coisa, me toca, me desmancha por dentro. Então, fomos atrás de seu repertorio e optamos por essa pérola.
“Depois de ter você/ Poetas para quê?/ Os deuses, as dúvidas/ Pra que amendoeiras pelas ruas?/ Para que servem as ruas?”

Entrada da mãe da noiva: 

Sorte, versão de Tiago Iorc.


Esse foi um caso de música que mudamos só na última etapa, ao imaginarmos o cortejo completo. A versão original de Gal Costa (que eu amo e tinha sido a escolha inicial!) é uma coisa mais ‘partida’, com aquela bateria dos anos 90, rs. Sentimos falta de um compasso mais orgânico, como nessa versão de Tiago Iorc, Então achamos que essa versão embalou melhor o momento!

Entrada dos padrinhos: 


Fotografia, Leoni. 


Engraçado que essa música é super desconhecida, e Leoni tá looonge de ser nosso artista preferido. Mas foi só a gente ouvir essa canção (que eu já conhecia e gostava há algum tempo), que as lágrimas vieram aos olhos e percebemos que ela tinha TUDO a ver com nosso casamento e com nossos amigos.

Depois que a gente viu as fotos do casamento, percebemos que a música praticamente descreve algumas cenas na nossa cerimônia..

“O que vai ficar na fotografia/ São os laços invisíveis que havia/ As cores, figuras, motivos/ O sol passando sobre os amigos/ Histórias, bebidas, sorrisos/ E afeto em frente ao mar.
[...] E quando o dia não passar de um retrato/ Colorindo de saudade o meu quarto/ Só aí vou ter certeza de fato/ Que eu fui feliz”
"O sol passando sobre os amigos..."

Entrada das daminhas e do pajem: 


Coisa mais Linda, de Vinicius de Moraes e Carlos Lyra. Versão de Roberta Sá.


Eu não tive daminhas, mas damonas, rs! Minhas afilhadas lindas, quase-moças, não combinavam com as músicas infantis geralmente indicadas para esse momento. Já essa, tem tudo a ver com elas e com nosso pajem que, certamente, foram as ‘coisas mais lindas’ de toda a festa.

"Coisa mais bonita é você. Assim, justinho você."

Entrada da noiva: 


Satellite, Eddie Verder


Se tem uma música que precisa te tocar, é essa aqui. Quando pensei pela primeira vez nas músicas pro meu casamento, já sabia que seria essa A MINHA. Toda vez que eu ouço essa canção, “meu coração vai desdobrando os panos, se alargando aquecido, dando a volta ao mundo, estalando os dedos pra pessoa e bicho” (Adélia Prado). Além de tudo, ela tem esse começo maravilhoso, que acho perfeito para marcar a entrada de uma noiva.

Days turn into
Nights turn into
Days turn into today
Guardei comigo esse momento, ao som de Eddie Verder

Alianças:


Postcard from Italy, Beirut.


Música fofa, gostosa de ouvir e com o clima certo para o nosso casamento:
“And I will love to see that day/ That day is mine/ When she will marry me outside with the willow trees”
 






Assinaturas: 


Rise, Eddie Verder

Mais uma dele. Mais uma maravilhosa, inesquecível, que eu queria muito que estivesse na nossa cerimônia e achei que a assinatura seria a hora certa – todo mundo podia ouvir com atenção, rs. Um recado para todos: o tempo passa rápido demais.
“Such is the passage of time/ Too fast to fold”


Saída do cortejo: 


Minha Menina, Jorge Ben (1969)



Para esse momento de comemoração, um samba da melhor qualidade!

"Ela é minha menina/ e eu sou o menino dela"

Primeira dança: 


Preciso do teu sorriso, versão Dominguinhos.



Talvez tenha sido a escolha mais difícil! Eu já sabia que queria essa música. Ela me anima, me deixa feliz, é uma comemoração desse fato incrível de estar viva e encontrar a pessoa com a qual você vai “seja onde for”. Mas morremos de dúvida entre a versão linda e romântica da Mariana Aydar e a versão original de Dominguinhos, que é um forró. E, veja bem, o forró está nas minhas melhores lembranças: as noites de junho com xote, canjica e fogueira de São João. Como baiana (e ser baiana é uma dessas coisas que me definem), como nordestina e e menina da roça, acabei optando por Dominguinhos e seu lindo forró. A sanfona faz isso comigo: coloca meu coração no pilão e amassa até ficar miudinho...

"Seja como for seu mundo, se você me leva eu vou..."


No primeiro post dessa série sobre meu casamento, falei sobre destination wedding e o local escolhido para nossa festa, vai lá ver!



**Todas as fotos desse post são de Flávia Valsani, a fotógrafa maravilhosa do nosso casamento. Para conhecer mais do trabalho dela, dá uma olhada no site!

You Might Also Like

2 comentários

  1. Devorei os dois primeiros posts em poucos segundos. E não teve como não me emocionar. Tenho certeza de que os dias que antecederam o casamento (e o grande dia em si!) foram alguns dos dias mais repletos de amor que já vivi. Foram tantos detalhes, tantas fofuras, tanto carinho. A gente sentia isso transbordando de vcs. A Janira, baiana 'agoniada', foi uma noiva tranquila, que lembrava de detalhes inimagináveis. E tão linda!!! O vestido, o cabelo, as joias da vó... E o Henrique, que escreveu os votos mais lindos do mundo, fez TODO mundo chorar, e muito! A atmosfera que se formou na cerimônia foi única e vai ficar na memória de cada um que esteve lá. As palavras de vcs, os suspiros e risadas das pessoas durante os votos. Nós, amigos, família e dindos, que conhecemos e amamos vcs, que acompanhamos essa história desde o comecinho, tivemos certeza de que nossos amigos estavam, ali, encontrando a felicidade. Com essas memórias, temos certeza, vcs têm luz e amor pra cada dia de toda a vida que vem pela frente. Parabéns, afilhados queridos! Camila e Alysson

    ResponderExcluir
  2. Não sou boa de textos! Posso fazer um desenho pra resumir?!? ▶️ 💗 Vcs são lindos! Sejam muito, muito, muito felizes!

    ResponderExcluir

Like us on Facebook

Flickr Images