Meu casamento na Bahia I – O Lugar

terça-feira, março 22, 2016


É claro que, como uma burocrata viajante, meu casamento não ficou fora da minha paixão por viagens. E o destino se encarregou do resto: sendo o noivo brasiliense e eu baiana, nosso casamento seria um destination wedding de qualquer forma! Se fosse em Brasília, minha família e amigos baianos teriam que viajar para participar; se fosse na Bahia, seria a vez da família dele e dos amigos que fizemos por aqui.

Como minha família é mais numerosa ~e a Bahia tem um jeito~, decidimos casar lá. A primeira ideia era fazer a festa em São Gonçalo dos Campos, cidade onde nasci e me criei e onde vive minha família até hoje. Mas ficamos pensando em como acomodar as cerca de 80 pessoas que sairiam de Brasília, já que São Gonçalo é uma cidade pequenina, com pouca oferta de pousadas e hotéis. Foi aí que veio a ideia de casarmos num terceiro lugar, que não fosse exatamente Brasília nem São Gonçalo. Decidimos nos casar no litoral norte da Bahia, num vilarejo à beira mar.

Por que será que fizemos essa escolha?
Vou fazer um conjunto de posts sobre meu casamento aqui no Burocrata Viajante. Não só porque tem tudo a ver com viagens, mas, principalmente, porque fui uma grande usuária de blogs de casamento e aproveitei cada post e cada relato de outras noivas sobre os seus casamentos, suas escolhas, suas opiniões sobre fornecedores... Então, essa série de posts é uma forma de agradecer e dar a minha contribuição para outras noivas que estão organizando seus casamentos. #seguraquelávemtextão

O que uma praia pode fazer por seu casamento...

Por que um destination wedding?


A praia em frente à pousada, na manhã do dia do casamento.

Ao iniciar os preparativos do casamento, descobri que viajar para casar estava na ‘moda’ e tinha um nome certo: destination wedding. Em geral, muitos noivos alegam redução dos custos nesse tipo de casamento. Como muitas pessoas não estão dispostas ou não tem disponibilidade para viajar para participar da cerimônia, é uma forma de reduzir a lista de convidados sem tanto sofrimento. Às vezes, a opção por um destination wedding pode ter a ver com a história do casal – casar na cidade onde se conheceram, onde começaram a namorar, etc.

Particularmente, acho destination wedding legal quando ele tem significado, quando faz sentido que os noivos se casem naquele local. Não consigo compreender quando casais viajam para longe para casar somente pela paisagem ou algo assim, mesmo que isso implique em abrir mão de pessoas significativas para a cerimônia. Mas isso é uma escolha absolutamente pessoal, claro!

Leve em consideração que algumas pessoas importantes podem não conseguir ir, e isso é o ponto mais negativo do destination wedding. Viajar sempre demanda uma organização e disponibilidade maior – tem que comprar passagem e reservar hospedagem com alguma antecedência, encarar a estrada nos casos de viagem de carro, organizar como chegar e sair da festa num lugar que você não conhece bem, etc. Por isso, não avalie a ausência de alguém como um sinal de falta de consideração ou carinho pelos noivos – bebês e crianças ficam doentes, trabalhos imprevistos aparecem, dinheiro acaba...

O mais legal de um destination wedding é o clima que ronda o casamento: é como se as pessoas estivessem de férias! Há uma concentração de energia para a festa, justamente porque os convidados precisam começar a pensar no casamento muito antes com a organização da viagem. Toda essa preparação gera uma expectativa e um clima maravilhoso que dá para sentir na cerimônia. No meu caso, como o casamento foi na praia, as pessoas já chegavam bronzeadas, com as faces rosadas, animadas pelo sol e pelos mergulhos que tinham rolado durante a manhã do sábado.

Não dizem que o melhor da festa é esperar por ela? Pois bem, o destination wedding estiiiica essa espera!


Escolhendo o local


Casei num vilarejo de praia chamado Arembepe, no litoral norte da Bahia. Além de lindo, ficava a uns 110 km de São Gonçalo, de onde viria parte dos convidados, e apenas 30 km do aeroporto de Salvador, facilitando a vida de quem viria de Brasília.

A cerimônia e festa aconteceram na Pousada A Capela. A pousada fica em frente ao mar, e *suspiro* tem uma capelinha fofa, perfeita para a realização de casamentos. O lugar não poderia ser mais perfeito: a pousada tinha o exato clima que sonhei para meu casamento: despojado, simples, mas, ao mesmo tempo, cheio de charme.

A princípio, nossa escolha teve mais a ver com a lindeza da pousada e a praticidade da localização, mas depois Arembepe encheu meu coração: é a última aldeia hippie do Brasil! Nos anos 60 e 70, gente como Mick Jagger, Keith Richards, Roman Polanski estiveram no vilarejo buscando a energia e a vivência da comunidade hippie. Janis Joplin passou uma temporada por lá, e reza a lenda que ela até namorou um pescador do local! Os Novos Baianos também tiveram uma passagem pela vila. Muita energia boa e histórias! Além daquele mar de coqueiros e as piscinas quentinhas da praia de Piruí...


A capela que conquistou meu coração e marcou minha vida para sempre!

É necessário reservar a pousada durante todo o final de semana do casamento. Apesar disso, é possível deixar que os convidados paguem por sua estadia, caso não seja interesse dos noivos assumir essas despesas. Nesses casos, pelo contrato, os noivos só assumem o que não for pago, garantindo a lotação da pousada.

São 14 quartos lindos e charmosos. A pousada dispõe de muitos móveis maravilhosos que podem ser usados no casamento: cadeiras, mesas, aparadores. A depender do tamanho da sua festa, pode ser necessário alugar mais alguns, principalmente mesas e cadeiras.


O valor do aluguel da pousada para casamento varia de acordo com o número de convidados para a festa. Os finais de semana de alta estação e aqueles que são feriados prolongados não estão disponíveis para aluguel para eventos.

A equipe da Capela pode te ajudar com quase todos os itens do casamento: buffet, aluguel de móveis, iluminação, sonorização, decoração. Itens como buffet e mobiliário é possível contratar diretamente com uma das sócias da pousada, os outros são de fornecedores que costumam trabalhar com eles. No meu caso, optei por fazer tudo por fora.

Pesquisei cada fornecedor e fiz contratos separados. Acho melhor assim – maior possibilidade de escolha, além do preço melhor, comparado ao que me foi oferecido/ indicado pela pousada.

A Bahia e essa luz mais linda do mundo!

A pousada é linda, o local é super bem cuidado e de muito bom gosto. Os funcionários são ótimos e muito prestativos. A única coisa ruim foi: na última semana, quando passamos os nomes das pessoas que iam ficar lá na pousada, tivemos que fazer o meio de campo entre pousada e hóspedes (que, em geral, eram familiares e padrinhos) – mandando voucher, pedindo para fazer depósito... Agora imagina isso para uma noiva CHEIA de coisas para resolver do seu casamento?

Se você quer fazer um destination wedding e a Bahia está entre suas opções ou se você mora em Salvador, recomendo DEMAIS a pousada A Capela para a realização de seu casamento.



**Todas as fotos desse post são de Flávia Valsani, a fotógrafa maravilhosa do nosso casamento. Para conhecer mais do trabalho dela, dá uma olhada no site!

You Might Also Like

0 comentários

Like us on Facebook

Flickr Images