Do Templo Dourado ao Psicodélico - 5 atrações imperdíveis em Amritsar

terça-feira, janeiro 24, 2017

Amritsar fica no noroeste da Índia, na fronteira com o Paquistão. Passamos duas noites na cidade, o terceiro destino do nosso roteiro na Índia. Chegamos a Amritsar vindos de McLeod Ganj, com carro alugado com motorista, numa viagem difícil por estradas sinuosas descendo a região montanhosa de McLeod.

Um dia completo é suficiente para conhecer as principais atrações da cidade. Listamos aqui as cinco principais, na nossa opinião.


TEMPLO DOURADO




Amritsar é a cidade sagrada do sikhismo, religião monoteísta nascida no Punjab, região que cobre uma parte no norte da Índia e leste do Paquistão. Milhares de peregrinos a visitam todos os anos para conhecer o espetacular Templo Dourado, o gurdwara (templo) mais sagrado da religião Sikh. Também conhecido como Harmandir Sahib, o Templo Dourado vale a pena para fiéis de qualquer crença: o conjunto arquitetônico é deslumbrante! O Harmandir é todo feito em mármore, com detalhes incrustados com pedras preciosas semelhantes aos encontrados no Taj Mahal, e coberto com folhas de ouro. Ele fica no meio de um grande lago com águas consideradas sagradas, nas quais os devotos sikhs se banham.

Em volta do Harmandir, e ainda dentro do conjunto do Templo Dourado, tem diversos prédios que valem a visita: museu que conta um pouco a história da religião e de seus principais gurus, um refeitório enorme, o Guru-Ka-Langar, que serve gratuitamente cerca de 80 mil refeições vegetarianas POR DIA. Qualquer um é bem vindo para comer por ali: do mauricinho ao morador de rua.

A atmosfera do templo é quase mágica: o melhor a se fazer é sentar na beira do lago (mas não pode ficar balançando os pezinhos na água: ali é tudo sagrado!) e ficar observando o vai-e-vém dos fiéis pelo local, ouvindo a música ao vivo INCRÍVEL que é tocada o dia todo dentro do Harmandir e é reproduzida para todo o complexo por um sistema de alto falantes. É preciso estar descalço e com a cabeça coberta para entrar no templo, mas na entrada eles disponibilizam lencinhos para amarrar na cabeça, caso o visitante não tenha um.

Não há cobrança de nenhuma entrada e tudo funciona super bem no templo. Muitos voluntários fazem serviços como lavar os pratos no refeitório e varrer o chão, e ajudas são bem vindas! Geralmente, há uma grande fila para entrar no Harmandir, o prédio principal do complexo, onde o Sri Guru Granth Sahib, principal texto sagrado do Sikhismo, é exibido. O livro fica exposto ali das 5 às 22h.

O templo é tão fantástico que o visitamos em dois momentos num mesmo dia: pela manhã e ao final do dia, para ver o pôr-do-sol, cuja luz dourada refletia nas águas do lago e nas paredes do Harmandir. Inesquecível e altamente recomendável! ;-)


Crianças se banham nas águas consideradas sagradas do Templo Dourado


Os Sikhs são tão orgulhosos da sua religião que alguns simplesmente puxavam papo conosco só para poder falar um pouco sobre ela



Famílias indianas sempre pediam para tirar foto conosco!




BATER PERNA NAS RUELAS DE AMRITSAR


A cidade antiga de Amritsar é um labirinto de ruelas de terra batida, com milhares de pequenos comércios, tuk tuks, bicicletas, barracas e pessoas circulando sem parar. É uma cidade vibrante e confusa, que pode assustar turistas desavisados. Na nossa primeira noite, rodamos MUITO tentando encontrar um restaurante indicado no Lonely. Durante à noite, a ausência de iluminação pública deixa as ruas estreitas um pouco assustadoras. Mas não há muito motivo para medo, já que a Índia é um país relativamente seguro (esse conselho não vale para mulheres viajando sozinhas).

A região logo em volta do templo é mais agradável, com áreas só para pedestres e lojas mais “organizadas”. É um ótimo lugar para comprar lembranças e artigos da região, como os jutti, sapatos de couro típicos do Punjab.

Crianças também vinham pedir para tirar fotos conosco



DURGIANA TEMPLE


Só tenho fotos de celular do Durgiana Temple :-(

O Templo Durgiana ou Lakshmi Narayan Temple foi construído à imagem e semelhança do Templo Dourado, só que para a religião hindu. Menos impressionante e organizado que seu contraparte famoso, o Durgiana também é cercado por um lago sagrado e foi construído em mármore. É conhecido como Templo Prateado por conta de suas portas em prata.


MANDIR MATA LAL DEVI, O TEMPLO PSICODÉLICO


Outro lugar que só tenho fotos de celular - não podia usar a câmera lá dentro!

Para católicos ocidentais, cuja ideia de igreja envolve espaços silenciosos, cerimoniosos e às vezes até um pouco opressores, pode ser difícil acreditar que esse é um local de devoção. Se os templos hindus já são lugares coloridos, enfeitados e pouco formais, o Mandir Mata Lal Devi certamente leva essa característica a um outro patamar. O templo é praticamente um parque de diversões: o visitante vai seguindo um labirinto psicodélico, cheio de figuras de deusas coloridas e cheias de brilho, com passagens estreitas e pequenas surpresas. Às vezes, a passagem de uma sala para outra é a boca de um leão ou de um macaco gigante! Em um momento, entramos numa caverna com o chão todo molhado. Nos salões onde os hindus podem se sentar e fazer suas orações, o clima é super relaxado: enquanto uns rezam, alguns grupos conversam, a música toca.

Dedicado a uma mulher considerada santa, chamada Lal Devi, acredita-se que esse mandir (templo) tem poderes especiais de fertilidade, por isso é muito visitado por mulheres que querem ter filhos. Achei um programa imperdível e revelador sobre a relação dos hindus com a religião, que é bastante diferente da nossa.


Foto daqui.
Essa é uma daquelas fotos que os visitantes colocam no Tripadvisor! Não consegui identificar o autor, mas se ela é sua, só me avisa que coloco os devidos créditos! :-)

Essa é uma daquelas fotos que os visitantes colocam no Tripadvisor! Não consegui identificar o autor, mas se ela é sua, só me avisa que coloco os devidos créditos! :-)

FRONTEIRA DE WAGAH 


Como as relações com o Paquistão não estavam nos seus melhores dias quando estivemos por lá, a cerimônia que acontece diariamente na fronteira entre os dois países estava temporariamente suspensa. A cada entardecer, soldados indianos e paquistaneses interpretam um verdadeiro ritual ao fechar o acesso entre os dois países, que já virou atração turística.

Desde 1947, quando a colônia indiana britânica foi dividida entre Índia e Paquistão, para acomodar as tensões religiosas entre hindus e muçulmanos, a relação entre os dois países é delicada e influenciada pelas disputas pela Caxemira.

A fronteira fica a cerca de 30 km de Amritsar, mas é possível comprar passeios ou somente o transporte para assistir o ritual.

You Might Also Like

5 comentários

  1. Ola', Estou indo para India em Outubro e estou delirando com seus depoimentos!!! Vce guardou os valores dos trajetos em carro. Tel dos motoristas??? Beijos e obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Daniela! Pagamos Rs5.000 no trajeto Mcleod Ganj - Amritsar (já com tip). Não tenho o tel desse motorista porque acertamos direto no hotel em Mcleod!
      Pegamos taxi em dois outros trechos, os dois com a Janu Private Tours:
      De Agra para Jaipur: Rs6.000 + 500 de tip para Mr. Khan.
      Jaisalmer para Udaipur: Rs5.500 negociado com Janu private tours + Tip de 500 para Rafik (motorista).
      Adorei o serviço deles! O contato é: Khan Shabbir - jaipurjanu@gmail.com

      Abraços e boa viagem!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá, sabe me dizer se a situação na fronteira normalizou??
    Onde será que obtenho essa informação? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Soldado Anônimo! Não tenho ideia. Se você já tiver hotel reservado, tenta perguntar para o pessoal do hotel por email. :-)

      Excluir

Like us on Facebook

Flickr Images